Você sabe como surgiu a cerveja? Vamos te contar um pouco da história dessa bebida que encanta milhares de pessoas. A história da cerveja se relaciona com a da agricultura, onde o cultivo de grãos foi o ponto de partida para o seu surgimento. No entanto, ainda não se sabe ao certo como e onde ela foi produzida pela primeira vez. A seguir, a gente conta os primeiros registros e como se popularizou o consumo da cerveja no Brasil e no mundo. 

Os primeiros registros da história da cerveja  

Os registros mais antigos do consumo de cerveja surgem de milhares de anos a.C., na região onde hoje fica o Egito. A partir desse período, foi descoberto que a bebida era uma fonte de nutrição, assim como o pão. Naquela época, a cerveja era produzida de forma diferente da que é hoje e possuía um teor alcoólico mais brando. No Egito, inclusive, era comum os mortos serem enterrados com algumas jarras cheias da bebida, para que ela nunca faltasse após a morte. 

O primeiro código de conduta de que temos notícia, o Código de Hamurabi (1770 A.C), previa pena de morte a quem diluísse a cerveja e vendesse. A produção cervejeira era vista, pela maioria dos povos, como algo místico. A fermentação era espontânea e eles não tinham o conhecimento microbiológico que existe hoje. Logo, a cerveja e o pão (igualmente fermentados), carregavam juntos uma aura mágica, como que um produto gerado pelos deuses.

De acordo com o egípcios, a cerveja foi apresentada ao povo por meio do deus Osíris e era atribuído a ela um poder medicinal. Era comum, ainda, adicionar tâmaras, gergelim e mel. No decorrer da Idade Média, o lúpulo passou a ser um dos ingredientes mais importante nas receitas de cerveja. Além disso, especiarias como ervas, raízes, gengibre e anis também foram acrescentadas para criar diferentes tipos da bebida.

O processo de produção 

A cerveja como conhecemos hoje depende de mecanismos industrializados para a sua produção. Portanto, ao da história da cerveja, o processo de produção mudou muito. O mais próximo do que conhecemos atualmente começou com a Revolução Industrial. Ao longo dos anos, a bebida teve diversos ingredientes e modos de preparo. Após muita evolução, a receita européia foi a que prevaleceu, tendo como base malte de cevada ou trigo, lúpulo e água. 

Existem diversas formas de combinar estes ingredientes, assim como também possuem diversos tipos de malteação, torragem e caramelização do grão. Da mesma forma, há tipos diferentes de lúpulos e formas dele ser utilizado. Essas diferenciações no preparo resulta em estilos de cervejas distintos. 

A história no Brasil

As primeiras cervejas produzidas e comercializadas no Brasil foram batizadas de cerveja barbante. Elas receberam esse nome por conta dos barbantes que seguravam as rolhas das garrafas para impedir que saltassem longe com o efeito do gás da bebida engarrafada. As primeiras cervejarias brasileiras surgiram no fim do período monárquico, quando a família real portuguesa decidiu trazer o líquido para o país.

Antes disso, os colonizadores evitavam a popularização da bebida para incentivar o consumo do vinho produzido em Portugal. Até então, a cerveja era produzida apenas para consumo das famílias de imigrantes. As primeiras receitas de cervejas comercializadas no Brasil eram chamadas Gengibirra e Caramuru. A primeira consistia em uma mistura de água, cascas de limão, gengibre e farinha de milho e era vendida a 80 réis. A segunda era vendida pela metade do preço e sua fórmula levava milho, gengibre, açúcar mascavo e água.

693730cookie-checkA história da cerveja no Brasil e no mundo

Ana Carolina - Redatora

Redatora da Rainha da Noite

Deixe uma resposta